03 janeiro 2008

promessas, promessas...

Este ano optei por não prometer nada. Por ainda ter por cumprir a única promessa que fiz o ano passado.
Resolvi tornar-me uma pessoa mais regrada. Mais saudável. Então, palmilhei todos os ginásios da cidade onde habito. Pretendia voltar a fazer desporto. Cuidar mais da saúde. E perder alguns quilinhos.
- "Ah, essas bolas de gordura nas ancas desaparecem num instante naquelas máquinas", disse-me o dono daquele pseudo-centro de estética, enquanto me olhava de cima a baixo.
- "E as pernas. Vocês precisam de delinear as pernas", continuou, alheio à minha cara de desagrado. Voltou a olhar-me de cima a baixo. E a dar a volta para ver melhor.
- "Sim, nas máquinas isso sai tudo", repetiu.
Mas eu lá tenho bolas de gordura nas ancas?! E as penas, qual o mal das minhas pernas?! Dei meia volta e sai porta fora. Lá se vai novamente a promessa do ano passado.
Para compensar o desgosto de ter alguém a chamar-me gorda, resolvi jantar duas sandes de atum com maionese. Que se lixem as promessas.

2 comentários:

i am you disse...

Espero que essas vontade dure mais do que certas revistolas pseudo-cólturais que infectam este allgarve ostracizado. very private joke. bj

Ana Ferro disse...

Por falar em promessas... Tou à espera do livro LOL Há uns belos anos já!