22 setembro 2008

click

- Diz que comprou um garrafão de aguardente e que está quase despachado! - confessou um.
- Ah, menina, a aguardente dá cabo de mim - murmurou-me entredentes quando lhe peguei nas mãos.
- Mas você é uma boa menina. É o que vale.
Momentos antes quis fotografá-lo. A ele e aos outros. Às conversas à porta do café. Às cadeiras do lado de fora encostadas à parede, onde ainda assomava o olhinho do sol.
Quis fotografá-lo segundos antes. A ele e aos outros. Às roupas de final de tarde. Às camisas engomadas e às calças com vinco. Aos sapatos de dias de festa. À pose de quem nada mais espera senão o lento transitar das horas.
Naquele momento quis imortalizar o quadro a que assistia. Mas ele caiu. E apenas a força da minha, ainda, juventude pôde ajudar a erguê-lo. Rodaram os rostos na minha direcção. Soltaram-se sorrisos singelos de agradecimento.
- Afinal, ainda há boas pessoas - disseram aos outros.
E o instante, aquele instante em que as minhas mãos carregaram o seu corpo escasso de carne tornou-se o motivo de conversa que antecedeu a última festa de verão na aldeia.
- Ah, Manel Cantigas, ficaste à espera que uma mocinha nova te viesse apanhar do chão. Ainda tu dizes que não vês...

3 comentários:

MSIAD A POTES disse...

A pessoa linda que és... quem te conhece sabe.

Beijinhos

Lisa disse...

Se sou uma pessoa linda é porque sempre tive uma linda família e uma mão cheia de lindos amigos.

Beijo gordo, gaja!

Ana Ferro disse...

Ai tão doces que elas andam...Só mel! Lisa, Lisa... não sabes que tens diabetes e isso faz mal??? lol