08 janeiro 2008

não há falta que não dê em fartura, diz o outro

Olhão iniciou, no passado sábado, as comemorações dos seus 200 anos de passagem a vila. Hoje cidade. O dia começou com pequenos passeios pela Ria Formosa no caíque Bom Sucesso, o barco que em 1808 levou um punhado de olhanenses ao Brasil.
As principais ruas da cidade receberam a arruada da banda 1º de Dezembro. Os mercados foram palco das actuações das Charolas de Bias, Cavacos e Quelfes. E só por volta da hora de almoço, o senhor presidente procedeu à sessão solene de abertura das comemorações. Sempre em boa hora.
Pela tarde, a baixa da cidade ganhou alguma vida com animação de rua. Mas, como sempre, nem tudo são rosas. A autarquia quis comemorar a data em grande, promovendo uma série de actividades a decorrer em simultâneo.
Resultado: entre as praças ouvia-se jazz. Um pouco mais à frente, charolas no coreto. Cinquenta metros depois, uma banda de covers com um repertório sem nexo. Quem se aproximava da baixa da cidade não conseguia ouvir nem jazz, nem charolas, nem outra coisa qualquer.
Restou o dia cinzento que acabou por cobrir o céu (por que terá sido?!) e o emaranhado de actividades às quais o público não conseguiu responder.
Como dizia um amigo, não há falta que não dê em fartura.

9 comentários:

Anónimo disse...

Olá Lisa, quis o destino que enquanto eu deambulava pela net, fosse ao encontro do teu blog, ou viesse o teu blog ao meu encontro, o que é certo é que os nossos caminhos voltaram a convergir.
Sabia que mais cedo ou mais tarde seria inevitável que os nossos mundos se voltassem a cruzar, eu podia neste momento continuar abstraído e não me manifestar, fingir que não te reencontrei, mas a vida é feita de opções e eu escolho escrever-te este “post”. Já foram inúmeras as ocasiões que ponderei entrar em contacto contigo (dia de Natal, 1 de Junho, 28 de Setembro), mas por uma questão de bom senso e algum receio da tua reacção nunca o cheguei a fazer.
Faço uma reflexão sobre ao quanto tempo foi a última vez que falei contigo, que te toquei, que te senti, e custa-me acreditar que já faz uma eternidade que tudo entre nós se passou.
Estou ciente que te magoei como nunca antes ninguém ousara fazê-lo, creio que de certa forma foi irónico pois acabei por te dar a provar do teu próprio veneno. Não me orgulho, pelo contrário sinto-me envergonhado e arrependido e sei que não posso mudar o passado, mas sei que posso e quero pedir-te as mais sinceras desculpas pelo que te fiz passar.
Hoje estou diferente, continuo a preservar a criança que tenho cá dentro, mas já denoto em mim uma maturidade bem diferente da que tinha aquando das minhas tristes e infelizes acções, não procuro uma desculpa para o que fiz (pois hoje consigo ver que não há desculpa, procuro o teu perdão), sei que és sensata e inteligente o suficiente para perceber que mudei e que há determinas acções que são características da idade, da insegurança e da imaturidade.
Sempre acreditei que apenas o tempo pudesse perdoar toda a mágoa que te causei, mas cedo descobri que não é o tempo que perdoa…
Ainda tenho esperança que um dia consigas colocar na balança tudo o que passámos e consigas lembrar-te como foi mágico o que tivemos, eu lembro-me e sei que nunca me vou esquecer!
Vejo o teu blog e relembro-te, continuas a ser tu! Ao percebê-lo fico contente, eufórico e um pouco nostálgico, pelas recordações que me passam pela cabeça a 2000 Km/h, pois em toda a minha vida foste a pessoa com maior personalidade que conheci. Fiel a ti mesma, impulsiva, independente, decidida, rebelde, revoltada, inconformada, lutadora insaciável, presa apenas à caneta e ao papel, sem margem para dúvida és mesmo tu - Lisa Bela Severino Horta Ferro, e é incrível como o teu nome completo me salta da ponta da língua como se ainda o utilizasse frequentemente, como outrora. Eu podia ler 100 artigos diferentes, e sei que quando visse um teu era capaz de identificá-lo imediatamente, tu permitiste que eu te conhecesse de verdade, deste-me o privilégio de conhecer o teu eu interior mais puro e sincero, e por isso eu te estou grato. “O dia mais importante não é o dia em que conhecemos uma pessoa é sim quando ela passa a existir dentro de nós”- tu deixaste-me existir dentro de ti, bem como eu te deixei a ti em mim. Este sentimento quando é recíproco consegue ser mágico e nós tínhamos isso, disso lembro-me eu muito bem e decerto tu também, pois não é daquelas coisas que se esquecem.
Depois do término, decidi respeitar a tua vontade e evaporei-me da tua vida (a expressão que utilizaste foi “tu para mim morreste”). Hoje creio que o rancor e a raiva que me tinhas, em parte já se terá desvanecido. Gostava de poder falar contigo, saber como estás, gostava que as perguntas que coloco a mim mesmo sobre ti, obtivessem uma resposta tua. Lisa tu foste (és /serás) sempre uma pessoa muito especial para mim, uma amiga, um verdadeiro marco na minha vida, que eu não posso ignorar, e como tal, sinto esta necessidade de saber como estás, o que tens feito, não quero um dia pensar que podia ter-te escrito esta mensagem e arrepender-me de nunca o ter feito. Respeito-te qualquer que seja a tua reacção (responder-me (com ofensas ou não ) / ignorares esta mensagem / perdoares-me ou não / etc), mas quando eu vi o teu blog senti uma necessidade e vontade de escrever e fiz um pouco aquilo que aprendi contigo, tomei a atitude, pensando só depois nas consequências. Como vês, em parte o meu eu tem um pouco de ti, bem como, decerto também em ti existe um pouco de mim.
Preciso ainda que saibas que nem tudo o que te disse naquele dia na gelataria era verdade, as coisas piores eram mentira, queria apenas magoar-te naquele momento pois estava revoltado contigo e ainda não sabia o que é que tu tinhas para me contar…Errei e admito-o.


Para alguém que será sempre o meu anjo, um grande Beijo


Sei que sabes quem sou, se optares por me responder aqui fica o meu e_mail: (meu 1ºnome)(meu ultimo nome)x@gmail.com - não te esqueças do x
Exemplos: lisaferrox@gmail.com
manuelsilvax@gmail.com
ruicostax@gmail.com

Termino esta abordagem, com um simples pedido, desculpa-me.
Bj

Anónimo disse...

É preciso ter tomates...! Fdx

Anónimo disse...

É preciso ter tomates...! Fdx

Anónimo disse...

Nao ligues ao q esse mentiroso diz ... Ele enganou-me a mim como se calhar te enganou a ti :|

Lisa disse...

Hello?! O que é que se passa? Ficou tudo maluco de repente?!

Anónimo disse...

Olá Lisa, deduzo que o teu silêncio representa uma resposta menos agradável, ainda que fico satisfeito por não se ter verificado nenhuma hostilidade da tua parte para comigo. Enviaste-me um mail para confirmares se tinha efectivamente sido eu o autor do “post” (nem sei como é que ainda tinhas dúvidas…), ao que te respondi afirmativamente. Desde então o silêncio tem sido a palavra de ordem. Ponderei se voltava a postar algo no teu blog ou não, e optei por voltar a fazê-lo. Na base desta decisão estiveram os seguintes factores, 1º a incerteza de teres compreendido a minha mensagem (a qual passarei a explicar de seguida); 2º não compreendo uma coisa, se não gostaste do meu post e decidiste ignorá-lo (dado que não me desde uma resposta) porque é que não o eliminaste?; 3º Não posso deixar de constatar que criei um impacto positivo no teu blog, dado que ajudei a divulgá-lo, reparaste que o maior pico de sempre de visualizações do teu blog foram efectivamente nos dias seguintes ao meu post? Não podes ter ficado indiferente… Gostava que me tivesses respondido, de qualquer modo fico contente pois numa semana as visualizações totais passaram de 184 para 298. E tenho um pressentimento que vão voltar a disparar outra vez após eu colocar este comment.
Quanto ao 1º ponto, o esclarecimento que eu gostaria de realizar é sobre as minhas intenções ao te ter abordado (ainda que indirectamente, visto que foi através de um blog), o que eu pretendo não é uma tentativa de envolvimento amoroso, tanto que neste momento tenho uma relação muito estável, o que eu pretendo é mesmo o teu perdão e que não me vejas com ódio, tenho ainda como objectivo acalmar os meus “fantasmas”, existem poucas coisas das quais me arrependo, mas o que eu fiz contigo…. Foi mau, eu sei e isso tem sido um peso na consciência para mim, estou apenas a tentar redimir-me. Penso muitas vezes no que fiz e sei que estive mal! Queria mesmo esclarecer que o principal objectivo da minha abordagem é: “SORRY!!!”


Um dia o Amor perguntou ao Ódio: “Ó Ódio porque é que odeias tanto?”, ao que Ódio respondeu: “Porque um dia amei demais!”

Sei que podes até nunca chegar a perdoar-me e continuares a odiar-me, se assim for, então eu comprometo-me desde já a não voltar a perturbar-te, nem interagir na tua vida (real/virtual), e passarei a ignorar-te (como fiz até ter postado o 1º comment) se for essa a tua vontade.


Bjs

PS. – Quem é que fez o seguinte comment:
” Anónimo disse...
Nao ligues ao q esse mentiroso diz ... Ele enganou-me a mim como se calhar te enganou a ti :|” ??????????????????????
WTF???
Tenho que concordar com a Lisa: Ficou tudo maluco de repente??????

Anónimo disse...

Recebi hoje um mail da Lisa, no qual me foi comunicado que os meus esforços não foram em vão, e foi-me concedido o perdão pelo que fiz. Sei que para quem está a ler este comment, isso não contribui em nada para a sua felicidade e até pode parecer um pouco ridículo o ênfase que estou a dar a tudo isto, mas para mim (que sei o que fiz) tem muito valor. Tanto que decidi fazer este agradecimento público, a este anjo que deve ser estimado e valorizado por todos aqueles que a rodeiam e que de algum modo fazem parte da sua vida. Lisa és uma pessoa de valor inestimável e desejo-te sinceramente as maiores felicidades tanto a nível pessoal como profissional. Obrigado!

Bjs

Ana Ferro disse...

"Tanto que decidi fazer este agradecimento público, a este anjo que deve ser estimado e valorizado por todos aqueles que a rodeiam e que de algum modo fazem parte da sua vida."
Foi pena sr João é não ter dado nem essa estima nem esse valor de que fala anteriormente. Deixe lá que há quem valorize e estime, não se preocupe!

PS: Tem o ego lá muito em cima rapaz!!! Lol Não foi graças a ti que ela chegou onde está, ela escreve muito bem, tem talento no que faz.

MSIAD A POTES disse...

A ética não é uma etiqueta que a gente põe e tira. É uma luz que a gente projeta para segui-la com os nossos pés, do modo que pudermos, com acertos e erros, sempre, e sem hipocrisia.

Herbert José de Souza

Existem aspectos de uma pessoa que não mudam com o tempo, fazem parte da sua essencia, dos seus valores, ou não... talvez precisasses de crescer...talvez precises de crescer... aprende com a vida...