04 junho 2008

acasos infelizes

Pois!
Fui a primeira a chegar à paralisação (um acaso ocasionado pelas horas tardias a que saí do trabalho);
Assisti em directo ao incidente e àquilo que o despoletou;
Falei com os intervenientes antes de qualquer outro órgão de comunicação;
Tirei fotografias de boa qualidade;
E só por não ter captado imagens do homem estendido no chão (por uma questão de respeito e por não me apetecer ser sovada por mais de 200 pescadores), a minha peça não foi manchete.
Pois! Esta história do jornalismo tem muito que se lhe conte!

1 comentário:

NUNO disse...

Parabéns Lisa pela forma como fazes jornalismo, nem sempre uma manchete vale o respeito que temos pelas pessoas, continua assim, só os grandes profissionais têm a capacidade de agir deste modo.
Bjs.
Nuno